Fechar Menu

Ericsson vai fazer o primeiro teste de conexão 5G no Brasil em 2016

[vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_column_text]A Ericsson anunciou nessa semana uma parceria com a América Móvil para realizar o primeiro teste da conexão 5G já feito no Brasil. O novo padrão de rede móvel vai começar a ser analisado em 2016 e não só as operadoras poderão verificar a qualidade do sinal durante o ano, mas também serão realizadas pesquisas em parceria com a USP, a UNICAMP e a UFC (Universidade Federal do Ceará).

Para o 5G, nosso foco é entender como os sistemas serão usados tanto pela sociedade quanto pela indústria. Para estar com redes comerciais prontas em 2020, a Ericsson fechou uma parceria com a América Móvil para o primeiro sistema de testes de 5G no Brasil, como uma demonstração clara da nossa vantagem competitiva, e, ao mesmo tempo, uma forma de levar a pesquisa para fora dos laboratórios e para redes de teste ao vivo.
Hans Vestberg, CEO da Ericsson

[/vc_column_text][thb_gap height=”32″][thb_image alignment=”center” lightbox=”” image=”2569″ img_size=”full”][thb_gap height=”32″][vc_column_text]Segundo a declaração da companhia, o foco dos testes com a conexão 5G também vai se direcionar para a Internet das Coisas (IoT), numa iniciativa focada em aplicações de baixo consumo de bateria e sensores de baixa potência para áreas remotas.

Com as universidades serão desenvolvidas as seguintes linhas de pesquisa:

– Cyber-Physical Systems com USP e UNICAMP: redes que se comunicam sem intervenção humana; sistemas de comunicação autônomos com base em sensores. Eles poderiam, por exemplo, fornecer a base para sistemas rodoviários que se comunicam com autoridades rodoviárias em casos de emergência, sistemas de clima, que monitoram as condições da estrada e carros autônomos.
– MiMo (multiple-input multiple-output) com UFC: sistemas de 5G com design transceptor com várias antenas em estações rádio-base e terminais de usuários (MiMo). O objetivo é aumentar significativamente a capacidade dos sistemas de comunicação móvel atuais.
– D2D (Intelligent radio resource allocation) com UFC: controle e provisão da qualidade de serviço em sistemas 5G. Usando algoritmos e técnicas de alocação de recursos de rádio, a ideia é possibilitar taxas de bits mais elevadas e maior satisfação do usuário para sistemas de comunicação 5G móveis.

Fonte: Adrenaline[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

0 Comentários

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

CONFIRA OUTRAS NOTICIAS DO BLOG